Mercado Imobiliário no Amazonas aponta crescimento de 35% e fatura mais de R$ 800 milhões em 2019

O mercado imobiliário comemora o fechamento de 2019 com crescimento de 35% de vendas, equivalente a R$ 814 milhões. Os dados foram apresentados na manhã desta terça-feira (04), no Hotel Adrianópolis, pela Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Amazonas (Ademi-AM).

O setor vem se recuperando desde que foi afetado pela retração econômica, mas a confiança do comprador, junto de juros mais baixos e a economia voltando a aquecer, o mercado cresce gradativamente no Estado. Segundo dados da pesquisa, em 2019 a indústria imobiliária local faturou cerca de R$ 814 milhões em vendas de imóveis, em comparação ao ano de 2018 que faturou  R$ 603 milhões, e em 2017 R$ 517 milhões.

O presidente da Ademi-AM, Albano Maximo fez projeção otimista para o setor de crescimento para o Amazonas para 2020 de 23%, ou seja, espere-se fechar o ano com R$ 1 bilhão. “Estamos bastante otimistas, tínhamos feito no início do ano passado uma projeção de 32% e crescemos 35%. Para 2020 estimamos Um crescimento de 23% e um faturamento líquido de R$ 1 bilhão”, reforçou.

O distrato que é o acordo pelo qual as partes põem fim a um contrato de venda de imóvel também vem caindo. Em 2017 47% de vendas voltando para o mercado, em 2018, caiu para 35% e 2019 fechou em 25% de distrato, ou seja, um pouco mais de R$ 1 bilhão de reais de vendas em 2019, 25% foram distratadas, restando assim um valor de R$ 814 milhões do valor líquido.

Imagem
Dados: Pesquisa
Ademi-AM

Ainda segundo a pesquisa, em 2019 foram lançados 10 empreendimentos, já em 2018 foram 6. No segundo semestre de 2016 até o quarto trimestre de 2017, foram lançados na cidade de Manaus 6 empreendimentos, com um total de 2.490 unidade. A partir do segundo trimestre de 2018 o número de lançamentos se intensifica, fechando o quatro trimestre de 2019 com 16  empreendimentos lançados, com um total de 4.841 unidades.
Desde o ano passado, o trimestre com mais vendas era o primeiro de 2016 com 644 unidades, mas foi ultrapassado pelo quarto trimestre de 2018 em que foram vendidas 839 unidades. Em segundo lugar está o terceiro trimestre de 2018 com 834 unidades vendidas.

No 4º trimestre o bairro com a maior VSO (venda sobre oferta) de unidades residenciais foi o Lírio do Vale com 86,7%.  Devido ao saldo final com vendas negativas, o bairro com menor VSO líquido foi o Tarumã-Açu com – 2,9%.
Segundo o diretor da CII (Comissão da Indústria da Imobiliária) da Ademi, Henrique Medina, 2019 foi um ano relevante para  o mercado imobiliário, pois além do aumento nas vendas,  também houve um crescimento de 30% de produtos lançados. “Em anos anteriores os produtos mais vendidos era do programa Minha Casa, minha Vida, por serem produtos mais baratos e primeira moradia; e em 2019 já percebemos uma mudança, os produtos convencionais foram maiores”, ressaltou Medina.

Produtos do “Minha casa, minha vida” teve um aumento de vendas de 8% em comparação a 2018. No entanto o destaque maior é para o aumento de 77% de vendas dos produtos convencionais, que são imóveis que não recebem subsídio do governo.

“É um numero para ser comemorado, já que o estoque começa a ser modificado e novos produtos são lançados no mercado” analisa Medina.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s